Ressonância Magnética

A Ressonância Magnética é um método diagnóstico não invasivo que permite a obtenção de imagens de alta definição de todos os órgãos do corpo humano. Além da qualidade das imagens, outra grande vantagem da ressonância – em relação à Radiografia tradicional e à Tomografia Computadorizada – é que os tecidos internos do corpo são avaliados sem a necessidade de exposição aos raios-x ou a qualquer outra fonte de radiação ionizante.

Os equipamentos de Ressonância Magnética criam um campo magnético que alinha os prótons dos átomos de hidrogênio presentes no organismo; em seguida, ele emite um pulso de radiofrequência que faz os prótons se movimentarem e, com isso, emitirem um sinal elétrico responsável por produzir as imagens do exame.

Com múltiplas aplicações na saúde, sendo útil para a maioria das especialidades médicas como a neurologia, ortopedia, angiologia e medicina interna, fornece aos médicos uma quantidade de informações detalhadas sobre a localização, tamanho e composição do tecido corporal a ser examinado, sendo capaz de demonstrar: aneurismas, tumores, tendinopatias, doenças cardíacas e malformações, dentre outras.

O nível de detalhamento da ressonância é tão grande que qualquer variação milimétrica na posição do paciente interfere nos resultados, por isso é preciso permanecer imóvel durante todo o procedimento que é totalmente indolor e funciona da seguinte forma: o paciente é adequadamente posicionado na mesa de exame e em seguida uma bobina de ressonância magnética é colocada ao redor do local de interesse, ambos são deslizados através de uma abertura para o centro do aparelho o qual permanecerá aberto nas extremidades, com iluminação e ventilação adequadas. Durante o período de exame (aproximadamente 20 minutos), um sistema de comunicação entre o equipamento e o console de operação possibilita um total acompanhamento do indivíduo pelo médico e pelo assistente que executam a Ressonância; de qualquer modo, a pessoa fica de posse de uma campainha para esclarecer qualquer dúvida ou interromper o exame a qualquer momento. Em algumas circunstâncias, há a necessidade de contraste não iodado aplicado pela veia para melhorar a eficácia na detecção ou caracterização de eventuais lesões.

Não apresenta contra indicações, exceto a portadores de marca-passos cardíacos e alguns materiais metálicos que possam sofrer indução eletromagnética, além disso, poucos são os preparos requeridos para a realização do exame e não se faz necessário a interrupção da utilização de medicamentos de uso contínuo.

Para maior precisão no diagnóstico, a Syrius Medical Group conta com o que há de mais avançado em software de imagem, o Cinematic VRT, tendo como principal objetivo fornecer uma visão completamente nova das estruturas de tecidos possibilitando, por exemplo, um melhor planejamento cirúrgico.

G0030748.JPG

Onde encontrar esse Serviço:

whatsapp-logo-1.png